Nunca encontrei ninguém completamente incapaz de aprender a desenhar.

John Ruskin, intelectual inglês do século XIX


Pensamos que o Diário Gráfico melhora a nossa observação, faz-nos desenhar mais e o compromisso de colaborar num blogue ainda mais acentua esse facto. A única condição para colaborar neste blogue é usar como suporte um caderno, bloco ou objecto semelhante: o Diário Gráfico.

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Agenda dos Sketchers - Setembro 2017

Editorial

Já em final de época balnear, o Bruno Vieira dá-nos bons exemplos de experiências na praia, com os seus desenhos da costa do Oeste. Mas em Setembro, os urban sketchers já regressam à escola, com várias oficinas a decorrer de norte a sul do país, incluindo o 10x10 que continua no Porto.
Em Lisboa, preparam-se livros e exposições - o desafio das lojas tradicionais ainda está aberto e há uma lista de locais por desenhar, para integrar um futuro livro editado pela Zest, enquanto que a Lisboa Oriental também se prepara para saltar dos cadernos dos USkP para a página impressa, com apoio da Câmara Municipal de Lisboa.
Na fronteira, os USk Raia organizaram uma campanha de crowdfunding para fazerem um maior e melhor Traço 17, que já ocnta com a presença confirmada do sketcher belga Gerard Michel, e no entretanto, planeiam ir de comboio de Elvas a Badajoz.
Bons desenhos!
A equipa da Agenda

AGENDA DOS SKETCHERS
Setembro 2017

Desenhar na Areia
Por Bruno Vieira
Um caminho até à praia, um areal vazio entre a falésia e a espuma salgada; um bloco, canetas, pinceis, uma garrafa de água, lanche, uma caixa de aguarelas entre a toalha dobrada; uma onda de maresia, uma esplanada, café e um copo de água, uma cerveja gelada, histórias e gargalhadas…
A fronteira entre o mar e a terra está cheia de contrastes, de mundos e de mares, os dias quentes atraem pessoas, pegadas e desenhos… No bloco, num dia nascem rochedos, alinhamentos de uma história que só o mar sabe contar, noutro dia nasce um mar de chapéus, como girassóis virados ao vento, uma multidão olhando o mar sem fim…
O calor transforma a cor, o pensamento, o que se sente… enquanto as pulgas do mar saltam para dentro do godé, nada melhor do que libertar a mente do tempo, ouvir música e desenhar sem linhas, o momento…
... e aconteceu o desafio das Lojas Tradicionais
Por Isa Silva
Confesso que sempre que posso, ando pelos cantos e recantos de Lisboa para descobrir melhor a minha cidade.
Uma das coisas que gosto de observar são os pormenores e os elementos das fachadas dos edifícios. Com todo este interesse, é natural que dedique o olhar a certas lojas que se destacam pela sua singularidade ou história. É com pesar que, de ano para ano, verifico o desaparecimento de muitas delas quer tenha sido por demolição do edifício, quer pelo desaparecimento dos seus proprietários ou simplesmente porque deram lugar a outras lojas descaracterizadas.
De tal maneira foi o meu entusiasmo em relação ao desafio de desenhar lojas tradicionais que, tendo recentemente aprendido a encadernar, criei um caderno totalmente dedicado ao tema.
Lamentavelmente, não consegui desenhar tudo que gostaria mas quase enchi o caderno. Pintei o respectivo lettering, a fachada e, em alguns casos, o interior e pormenores.
Acredito que através de todos os desenhos dos USkP vamos deixar muitos com uma enorme vontade de visitar todas as lojas retratadas.
Obrigada Fórum Cidadania Lx pelo desafio.
Crowdfunding para o Traço 17 - Festival de Desenho do Alentejo
Por Pedro Loureiro
Traço está de volta em Outubro, e desta vez, não é só em Elvas. Este ano, o Festival irá expandir-se até Castelo de Vide. Os USk Raia e a AIAR, ADCorganizaram uma campanha de crowdfunding para conseguir os fundos necessários para trazer à zona fronteiriça desenhadores de peso, não só do universo dos urban sketchers, mas também do design, da ilustração, da animação e da banda desenhada - áreas com o desenho como ferramenta comum.
Entrevista a Abnose
Armando Baldaia, conhecido entre os urban sketchers por Abnose, mostra-nos que nunca é tarde para começar a desenhar. Costuma desenhar com os USkP Norte e com os PoSk.
Abnose visto por Paulo J. Mendes
Há quanto tempo desenhas?
Como toda a gente, comecei a desenhar na escola, ou antes disso. Quando cheguei ao liceu, dei por mim a entrar para a Escola de Artes Decorativas Soares dos Reis, quase como "um mal menor" para quem andava à deriva sem saber minimamente o que queria da vida. Sem saber e sem pensar nisso sequer. Ainda no secundário, larguei os estudos (o final da década de 70 foi muito atribulada para a minha geração) e nunca mais pensei no desenho.
A minha vida seguiu outro rumo e tornei-me um "marinheiro de escritório", trabalhando na área dos transportes marítimos, vida profissional onde ainda hoje navego, na área do accounting.
Quando fiz 50 anos, e após a morte do meu pai, fui apanhado num daqueles momentos "esotéricos", em que questionamos a vida que temos, o que vivemos e o que ainda temos para viver...
Foi neste período que, sem mais nem menos, bati de frente com os desenhos do Eduardo Salavisa na net.
Fiquei a olhar para aqueles registos e senti que estava ali tudo o que me apaixonava na fotografia, antes do digital: o momento, o espaço, os sons, os odores, o clima, a vida que flui à nossa volta... só pensei "Bolas! É isto!..."
Quis logo aprender a desenhar. Passei uns meses no atelier do João Pedro Rodrigues, depois matriculei-me no Clube de Desenho (onde ganhei uma família), contactei os USKPNorte, frequentei workshops e o rebuliço nunca mais acabou.
Mas a pergunta era há quanto tempo desenho, certo? Comecei a desenhar depois dos 50.
Há quanto tempo és USk?
No final de 2014 fui ao meu primeiro encontro dos USkPNorte. Compareci apenas para ver como aquilo funcionava, com a promessa de que não precisava de desenhar e podia andar por ali a conhecer as pessoas e a ver o que faziam. Tive como "padrinho" o Tiago Cruz que - ainda hoje não percebo como - conseguiu que a meio da manhã eu já estivesse de caderno e caneta na mão em plena Rua de Sta. Catarina, a fazer o meu primeiro borrão. Um borrão que pelo menos ainda me serve para lembrar que me tornei um USk no dia 30 de novembro de 2014.
O que/quem mais inspira os teus desenhos?
Sinceramente não sei. Ainda vivo numa fase muito camaleónica, em que tudo o que vejo me influencia. Salto de galho em galho a tentar conhecer uma floresta que por ser tão grande, provavelmente nunca conhecerei completamente... enquanto houver um novo galho para onde possa saltar, sinto-me satisfeito.
O encontro USk mais marcante?
Além do primeiro, que já mencionei, marcou-me muito o 1.º Encontro Internacional de Desenho de Rua em Torres Vedras. Foram cinco intensos dias de desenho, cheios de workshops com verdadeiros mestres, e onde conheci pessoalmente dezenas de urban sketchers de todo o país, do Brasil e de Espanha, e com os quais fiz algumas amizades solidificadas com o tempo.
Não por acaso, costumo referir-me a ele como o meu "Woodstock".
Que materiais preferes usar?
Gosto de experimentar materiais diferentes, formatos diversos de cadernos, etc, mas a base permanente é sempre a caneta e a aguarela.
Queres colaborar com a Agenda dos Sketchers?
Estamos sempre à procura de histórias de encontros e actividades dos urban sketchers em Portugal. Se gostavas de ver a tua história aqui, pergunta-nos como podes fazer, enviando um email para uskp.regionais@gmail.com.

ACONTECE EM SETEMBRO

Exposições

De 01-04 a 30-04 | Castro Verde | Castro Verde em desenhos | Vários autores | Évora Sketchers e USk Beja
Uma iniciativa conjunta de dois grupos de urban sketchers para trazer os seus desenhos às ruas de Castro Verde, até Abril de 2018.
De 01-09 a 16-09 | Porto | Cadernos da América Latina | Eduardo Salavisa | Espaço Mira Fórum
A viagem de Eduardo Salavisa pela América Latina, agora em livro e exposição.

Encontros

02-09 | Caldas da Rainha | Vamos rabiscar nas Caldas da Rainha? | Parque D. Carlos I
02-09 | Elvas e Badajoz | 21º Encontro - Comboio Elvas-Badajoz e Noche Blanca | USk Raia
16-09 | Lisboa | USk no Jardim Gulbenkian | Fundação Calouste Gulbenkian
18-09 | Querença | Festival Internacional Literário de Querença | Fundação Manuel Viegas Guerreiro

Formação

02-09 | Porto | Medium stories - Watercolor as support of Urban sketching compositions | Hugo Costa | USk 10 years x 10 classes
02-09 | Lisboa | Um ano a desenhar para o futuro | Urumo | Casa-Atelier Vieira da Silva
03-09 | Lisboa | COMpositiON in action | Benedetta Dossi | USk
09-09 | Porto | Medium stories - Embarrassment and power of graphics | Marco Costa | USk 10 years x 10 classes
09-09 | Amarante | Desenhar à descoberta do património | André Duarte Baptista | Bienal Internacional de Ilustração Solidária Ajudaris
09-09 | Cascais | Afinal consigo desenhar e aguarelar | Rita Caré | Parque Marechal Carmona
10-09 | Cacilhas | Lisboa da outra margem | Richard Câmara | Gabinete de Dinamização Associativa
16-09 | Lisboa | Vamos desenhar com | Helena Monteiro | Museu Arqueológico do Carmo e USkP
16-09 | Lisboa | Cultivar o olhar ou desenhar a paisagem | Mário Linhares | Fundação Calouste Gulbenkian
16-09 | Porto | Medium stories - Color and chiaroscuro on urban space (II) | Nuno Sousa | USk 10 years x 10 classes

Desafio 81 - Mecanismo

Participem com os vossos desenhos até 25 de Setembro, marcando o post com a etiqueta "Desafio81". Por favor, consultem as regras de participação.

Desafio 80 - Chapéus

O desenho mais comentado no desafio do mês de Agosto é da autoria da Rita Caré, que foi visitar o Museu da Chapelaria em São João da Madeira.

Sem comentários: